segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

PELO MUNDO: Coffee Bike



CAFETERIA SOBRE RODAS

Conhecido em outros países como Coffee Bike, BikeCaffee ou Velopresso a ideia é levar café para qualquer lugar com a ajuda de uma simples bicicleta. A engenhoca já pode ser vista nas ruas da Alemanha e Nova Iorque e segue inspirando coffee lovers por todo o globo.


A parafernália conta com uma bike com três rodas (triciclo), reservatório de gás para aquecer a água, copos, compartimento para guardar os grãos de café, moedor e até mesmo uma máquina de espresso. Para fazer negócio com este aparato, basta ter uma bicicleta equipada, treinamento para extrair a bebida e um bom preparo físico para levar uma xícara de qualidade para os lugares mais inusitados.

 Em alguns modelos, a energia necessária para o maquinário da bicicleta é produzida ao pedalar. Encontrei esta entrevista (logo abaixo) que traz o relato dos inventores de um modelo de coffee bike: os alemães Tobias Zimmer e Jan Sander.


Baristas! Agora ficou mais fácil fazer dinheiro e ainda levar seu talento para qualquer canto da cidade.

* Matéria by 
http://www.mexidodeideias.com.br

terça-feira, 27 de novembro de 2012

RECEITA: Maminha temperada com Café


*Ingredientes
1 peça de Maminha com uma pequena camada de gordura
1/2 copo americano de café
1/2 copo americano de vinho tinto seco
1 colher (chá) de glutamato monossódico, tipo Aji No Moto
1 xícara (chá) de sal groso
50g de manteiga
1 colher (chá) de tomilho bem picado

*Modo de Preparo
Misture bem o café, o vinho e o glutamato. Coloque a mistura numa seringa para culinária e injete na Maminha. Deixe marinando por um dia na geladeira. Misture a manteiga com o tomilho e guarde na geladeira.

No dia do churrasco, retire a Maminha da geladeira e coloque em um recipiente fechado. Deixe em temperatura ambiente por uma hora. Retire do recipiente e esfregue o sal grosso em toda a carne. Enrole-a em quatro voltas de papel celofane especial para churrasco e leve à parte alta da churrasqueira (cerca de 50 cm) e deixe assando por aproximadamente duas horas. 

Desembrulhe a carne com cuidado para não se queimar com o vapor. Besunte a carne com a manteiga temperada com tomilho. Retorne para a churrasqueira na parte baixa (cerca de 20 cm) e grelhe por 3 minutos de cada lado. Corte em fatias e sirva imediatamente. 

*By Jornal Tribuna da Imprensa - colunista de gastronomia Elíbia Portela.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

CURIOSIDADE: Café defeituoso pode virar biodiesel



Pesquisadores da UFMG comprovam a viabilidade de converter os grãos irregulares em combustível


Depois de três anos de testes, pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais comprovaram a viabilidade de se converter óleo de café em biodiesel. A novidade surge justamente no momento em que o governo começa a apostar na produção do diesel a partir de óleo vegetal para reduzir a dependência externa do País e incentivar o agronegócio. O estudo pioneiro dos professores da Escola de Engenharia da UFMG sugere a produção de combustível a partir de grãos de café defeituosos, considerados impróprios para o consumo.

A intenção da pesquisa, no entanto, não é estabelecer uma nova fonte energética. "Queremos dar uma alternativa de uso para os grãos defeituosos", afirma o coordenador do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento em Café da Universidade, Leandro Soares de Oliveira. O óleo de café, segundo ele,poderia ser reaproveitado nas próprias fazendas e cooperativas produtoras, como combustível para equipamentos, tratores e caminhões. Além de econômica, a nova alternativa reduziria o impacto ambiental no meio rural. A tecnologia para a produção do biodiesel a partir de grãos impróprios para o consumo já está em fase de aperfeiçoamento.

Os grãos defeituosos representam, em média, 20% da produção nacional de café, que na safra 2006/2007 deve atingir 40,62 milhões de sacas de 60 quilos, conforme dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O Brasil é o maior produtor mundial de café. Minas Gerais responde por quase a metade da safra. A previsão é que cerca de 26 milhões de sacas sejam exportadas e o restante da produção fique no mercado interno.

QUALIDADE

Grande parte das sementes defeituosas de café ficam no mercado interno, porque não podem ser aproveitadas para exportação. A qualidade do produto consumido no País foi questionada pelo Sindicato das Indústrias do Café de Minas Gerais (Sindcafé-MG) e motivou a pesquisa desenvolvida pelos pesquisadores da UFMG. O Sindicato propôs um "fim alternativo" para as sementes defeituosas que não são vendidas ao exterior. "No futuro, os consumidores terão apenas café de grãos saudáveis para consumir", disse o presidente do Sindicafé e diretor de qualidade da Associação Brasileira da Indústria do Café (Abic), Almir José da Silva Filho.

Como os grãos impróprios, mesmo em menor escala, acabam sendo ofertados no mercado internacional, o projeto desenvolvido na UFMG também poderia melhorar a imagem da cafeicultura brasileira no exterior. "Os Estados Unidos, por exemplo, até compram grãos de menor qualidade, mas os países escandinavos e o Vaticano rejeitam completamente", disse Silva.

Uma outra vantagem do projeto apontada por ele é que, ao estabelecer uma nova finalidade para essas sementes, os produtores terão a possibilidade de regular a oferta de café em períodos de supersafra.

EXTRAÇÃO

Os resultados da pesquisa realizada em Minas Gerais mostraram que a cada 100 quilos de café é possível obter 12 quilos de óleo. Desses 12 quilos, nove são convertidos em biodiesel. Em comparação com outras oleaginosas, a produção de óleo a partir do café é muito baixa. Da semente de soja, por exemplo, consegue-se extrair 20% de óleo. Da mamona, retira-se em média 45% e do babaçu, 66%.

O fato de a cultura do café estar consolidada no País e contar com uma rede de agricultores e empresários organizados representa, de acordo com o cordenador da pesquisa, um custo menor no processo de aproveitamento dos grãos para a produção de combustível. A separação das sementes, por exemplo, não seria um trabalho a mais, porque já ocorre no beneficiamento convencional.

O que ainda não existe são núcleos de produção nas próprias áreas de plantio. "Criá-los, do ponto de vista do investimento, não teria um custo elevado", disse Oliveira. "Teríamos mais uma fonte de renda, gerando riqueza e postos de trabalho", completou Silva.

TORREFAÇÃO

O coordenador do projeto destaca que o interesse do Sindcafé é melhorar a qualidade do grão torrado e não produzir biodiesel. "O maior impacto seria retirar esses grãos defeituosos do mercado de torrefação."

O estudo com o café é financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). O próximo passo, segundo Oliveira, será a análise econômica do processo. 

By Eduardo Kattah
http://www.revistacafeicultura.com.br

terça-feira, 6 de novembro de 2012

DICAS: Café para o Coração


Consumo de café combate o colesterol ruim e também previne outras doenças

Estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, revelou que o café, quando consumido com moderação, traz diversos benefícios à saúde, em especial para o coração. A pesquisa, publicada no Circulation: Heart Failure, jornal da Associação Americana de Cardiologia, mostrou que consumir quatro xícaras de café por dia diminui em até 11% as chances de sofrer de insuficiência cardíaca.

De acordo com Rosana Perim, gerente de nutrição do HCor, em São Paulo, “durante muitos anos o café foi criticado e acusado de causar gastrite e dependência, por causa da cafeína. Entretanto, recentemente diversos estudos têm revelado que, em doses moderadas, a bebida ajuda a prevenir algumas doenças”. Além da cafeína, substâncias como os ácidos clorogênicos reduzem a incidência de diabetes, fator de risco para o desenvolvimento da doença coronariana.

Outro dado interessante é que o modo de preparo do café interfere nos benefícios que ele traz. O café filtrado ou coado não altera os níveis de colesterol no sangue, mas, quando preparado sem a filtragem, ele diminui a oxidação do LDL, que é o colesterol ruim. “O efeito deve-se aos compostos antioxidantes presente no café, que ainda pode melhorar os sintomas de doenças como Alzheimer, Parkinson e depressão”, afirma Rosana. (AB)


Matéria de Club Alpha
http://clubalfa.abril.com.br/cuidados-pessoais/saude/cafe-para-o-coracao/

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Mulheres no Café


Amigos!!!

Deem uma olhada na matéria que saiu no Café Point com a nossa querida Josiane, presidente da IWCA!

Josiane Cotrim Macieira, 53 anos, natural de Manhumirim, Minas Gerais é da quarta geração de uma família de cafeicultores familiares. Estudou Jornalismo na Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF e é mestre em Comunicação Política pela Dublin City University. Casada com o Embaixador do Brasil na Noruega com quem tem 2 filhas, já morou no Iraque, França, Irlanda, Suíça e Nicarágua onde conheceu o trabalho da IWCA - International Women`s Coffee Alliance, entidade que tem como objetivo estimular e reconhecer a participação das mulheres em todos os segmentos da cadeia produtiva do café. Apaixonada por café e sobretudo pelas pessoas envolvidas na produção, Josiane está atualmente engajada no desenvolvimento da IWCA no Brasil.

Em ocasião da realização do 7° Espaço Café Brasil, a Embaixadora da IWCA no Brasil concedeu entrevista ao CaféPoint, que teve a oportunidade de acompanhar sua participação ativa nos 3 dias de evento. Josiane nos contou toda vontade, luta e muito trabalho para elevar a condição das "Mulheres do Café" em meio ao cenário do mercado cafeeiro, algumas vezes pouco gentil a estas damas que compõem parte significativa deste setor.

DIRETORIA IWCA - Dir. p/ Esq.: Brígida Salgado, Daniella Pelosini, Jackeline Uliana Donna, Carmen Lúcia Brito, Geralda de Souza e Silva, Joahanna, Josiane Cotrim Macieira, Helga Andrade, Marisa Contreras, Debora Fortini e Ilana Monteiro Bastos

CaféPoint: Conte-nos um pouco sobre a IWCA e suas metas?

Josiane Macieira: A IWCA - International Women`s Coffee Alliance nasceu há 10 anos do encontro de mulheres da indústria dos EUA e Canadá com produtoras da Nicarágua. Sua missão é dar poder às mulheres da comunidade do setor cafeeiro internacional, estimular e reconhecer a participação das mulheres em todos os segmentos da indústria do café, do grão à xícara.

Esta Aliança proporciona a infraestrutura necessária para cumprir com nosso objetivo. Constitui o veículo que facilita a transferência de conhecimento, o fortalecimento de uma rede de contatos, a execução de cursos de treinamento e a incorporação das mulheres na cadeia de abastecimento. Em suma, trata-se de "business". Nós mulheres precisamos aprender a comercializar. Já provamos que sabemos produzir cafés de qualidade. Agora precisamos saber como vender esse produto bem.

Para isto, oferecemos treinamento, capacitação e desenvolvimento das lideranças. Em resumo, trata-se de preparar as mulheres para que façam negócios que beneficiem suas famílias. A IWCA tem o compromisso de desenvolver ações que gerem benefícios de integração e valorização das mulheres nos países produtores.

Diversos estudos demonstram que a melhoria do status das mulheres é uma das estratégias mais acertadas para confrontar os desafios que enfrentam as comunidades ao redor do mundo. As mulheres investem a maior parte de seus ganhos na educação, nutrição e saúde de seus filhos, conforme provam pesquisas realizadas.

Olha a gente ai com a Joahanna! Amanda e Ilana Monteiro Bastos
CaféPoint: Desde quando a IWCA atua no Brasil?

J.M.: A Aliança funciona criando capítulos nos países, sobretudo nos produtores. No Brasil, a IWCA Brasil começou a ser criada em 2011 no 6° Espaço Café Brasil, quando realizou-se um seminário com mulheres de várias regiões produtoras. Isso foi possível graças ao apoio do Sebrae e na ocasião foi assinada a carta intenções para a IWCA Internacional, manifestando o desejo das brasileiras de fazerem parte da organização.

Um ano depois, durante o 7° Espaço Café Brasil, entre 04 e 06 de outubro, assinamos a Carta de Entendimento criando o capítulo brasileiro. Em um ano foram cumpridos todos os passos estipulados pelo Protocolo de Criação de Capítulos da IWCA. Elegeu-se uma diretoria que representa toda cadeia do negócio café, do grão à xícara, venceu-se as diversas etapas burocráticas e agora a Aliança existe de fato e de direito no maior produtor, exportador e segundo consumidor de café do mundo.

CaféPoint: Durante o 7° Espaço Café Brasil vocês assinaram oficialmente, como relatou, a Carta de Entendimento. Conte-nos um pouco sobre a importância deste ato.

J.M.: Criar um capítulo da IWCA no Brasil abre muitas oportunidades para as mulheres, não apenas no país, como internacionalmente. Como maior produtor e exportador de café verde do mundo, o Brasil não poderia ficar de fora dessa organização. Precisamos mostrar ao mundo que tem gente também envolvida na produção de cafés no Brasil. Inclusive, muitas mulheres que, aparentemente, são invisíveis. Com a oficialização deste ato, nossa missão no Brasil será dar voz e vez a todas as mulheres desse setor que emprega mão de obra como nenhum outro no país.

CaféPoint: Vocês tiveram uma forte participação neste evento, com palestras, sala de cupping, além de assinaturas expressivas. Estão satisfeitas com os resultados?

J.M.: Os resultados desse segundo encontro superaram nossas expectativas. Conseguimos trazer palestrantes para realizar duas manhãs de seminário. Todas voluntárias, vindas de Brasília, Rio de Janeiro, ninguém faltou. Nossa programação foi cumprida como previsto. O Sebrae apoiou o encontro financiando a ida de produtoras de diferentes regiões cristalizando uma parceria que está funcionando muito bem. As cooperativas também contribuíram. Por exemplo, a Coocaram de Rondônia enviou duas produtoras de Ji Paraná. Isso é para nós uma grande vitória, integrar no nosso encontro mulheres da região mais remota do país. Rondônia e seus produtores de café merecem mais atenção.

Além disso, o cupping que foi formatado para ser um treinamento para aquelas que nunca haviam participado de uma atividade assim, acabou atraindo a atenção de compradores e muitas conseguiram vender seus cafés por preços muito bons. Muito saber que já estamos fazendo a diferença no setor oferecendo mais oportunidades de comercialização. Isso só foi possível graças ao envolvimento de baristas e provadoras que estão trabalhando voluntária e espontaneamente nos eventos realizados pela IWCA Brasil.

CaféPoint: Como as mulheres produtoras do país podem conhecer melhor a IWCA e quais os métodos e procedimentos para integrar-se à associação?

J.M.: Estamos indo muito rápido. As mulheres que participaram do seminário em São Paulo irão replicar a experiência nas respectivas regiões e assim atingiremos a ponta da cadeia. Essa é a metodologia da IWCA "success through localization". É assim que vamos levando a mensagem da Aliança e criando uma rede disseminadora de nossas ideias nos diversos eventos de café que ocorrem no país. Nossa intenção é realizar cursos de treinamento para mulheres durante os simpósios e encontros do setor, incluir a participação de palestrantes mulheres que possuem trabalhos científicos sobre café.

Normalmente não vemos muitas mulheres nos eventos de café, nem nas mesas de apresentação nem como palestrantes. E, no entanto, temos muitos trabalhos interessantes realizados por pesquisadoras que merecem ser divulgados. Por isso contamos com o apoio dos homens para que eles percebam que é preciso diversificar, homens e mulheres juntos. Como acontece nos países desenvolvidos. Os países onde homens e mulheres participam igualmente das decisões e das discussões possuem economias mais competitivas e um crescimento mais rápido, como demonstram estudos realizados.

E é por isso que a formação de capítulos da IWCA através de figuras organizacionais sem fins de lucro, legalmente estabelecidas de acordo com a ordem jurídica de cada um dos países produtores cria importantes conexões nacionais e internacionais entre as mulheres que pertencem à indústria cafeeira.

A IWCA tem um site www.womenincoffee.org e vamos ter um link onde a IWCA Brasil irá informar sobre suas atividades. Disponibilizamos também uma página no Facebook. Temos a convicção de que poderemos incluir digitalmente as mulheres do meio rural. Esse é o nosso desafio. Só assim conseguiremos contribuir para que os jovens no campo possam interagir com o mundo exterior.

A participação é aberta. Estamos concluindo nosso regimento interno para estabelecer algumas regras, mas em princípio toda e qualquer interação é bem-vinda, seja na nossa página no Facebook Iwca Brasil ou por email: iwcabrasil@groups.live.com.

CaféPoint: Quais os próximos passos da IWCA Brasil?

J.M.: O céu é o limite. Entendo que não seja fácil entender o que é a aliança, uma vez que não se trata de uma organização nos moldes convencionais. No mundo atual onde a única constante é a mudança, o funcionamento em rede virtual é uma coisa nova com a qual temos de nos habituar. E as mulheres do campo não podem se alijar desse processo.

Esperamos que o capítulo brasileiro da IWCA possa promover o reconhecimento do papel das produtoras na indústria e que os consumidores reconheçam os benefícios que proveem das mulheres à comunidade cafeeira global e esses respaldem os produtos que estão associados ao desenvolvimento social.

Entrevista concedida por Josiane Cotrim Macieira, Embaixadora da IWCA no Brasil, a André Sanches Neto, Coordenador de conteúdo e Analista de mercado do CaféPoint. 

http://www.cafepoint.com.br/cadeia-produtiva/giro-de-noticias/mulheres-do-cafe-80932n.aspx

terça-feira, 23 de outubro de 2012

RECEITA DA SEMANA: Afaggato de Café


*Ingredientes:
50 ml de café (forte)
2 bola(s) de sorvete de macadâmia

*Modo de preparo:
Coloque o café na taça e as duas bolas de sorvete. Sirva em seguida!!

*Rendimento: 1 porção

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

MUST HAVE: Toast Messeger


Olá Comilões!

SIMPLESMENTE FANTÁSTICO, ótimo para acompanhar um delicioso Café Helena no café da manhã e lanches!


O Toast Messeger, desenhado por Sasha Tseng é apenas um conceito de design (infelizmente), mas estamos torcendo para que venha ao mercado muitooo rápido! 

Como seria incrível escrever uma mensagem sobre a superfície da caixa, e assim essa mensagem como em um passe de mágica aparece no do pão torrado!

Venda garantida para mim!


quinta-feira, 11 de outubro de 2012

PELO MUNDO: Casa do Peixe - Florianópolis


Olá Queridos Amigos!


Essa postagem é especial para os CATARINENSES ou apenas para quem estiver de passagem e férias pela maravilhosa cidade de Florianópolis!

Nós do Café Helena indicamos o Restaurante Casa do Peixe, que além de ter uma comida incrível e ambiente agradável, ainda possui nosso querido CAFÉ HELENA, ponto único da cidade!

O que consideramos mais importante na Casa do Peixe é o cuidado com a saúde, proteção do meio ambiente e contribuição social.

Além de que todos os ingredientes utilizados são de origem orgânica, destaque para o sal marinho integral e óleos vegetais com 0% de gordura trans.

E ainda pra quem quer ajudar saiba que 3% do valor da venda do Rolinho de Camarão vai para a construção da nova Escola Wardorf Anabá.


CONTATO

Casa do Peixe Restaurante
E-mail: contato@casadopeixesc.com.br 
FONE:+55 48 3285-2361      
Endereço: Rua Brigadeiro Eduardo Gomes. 9400, Balneario São Miguel
Biguaçu - SC CEP: 88160-000, às margens da Br-101






segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Death Wish Coffee - 200% mais Cafeína que o Normal


Há nichos de mercado no mínimo curiosos: uma empresa de torrefação de café em Nova Iorque criou aquilo a que chama como o café mais forte do mundo, um produto gourmet e amigo do ambiente mas com um teor de cafeína 200% superior ao normal. A empresa que o criou, a «Death Wish Coffee», classifica-se a ela própria como uma companhia responsável com um produto irresponsável.

Esta mistura, disponível online pelo preço de 19,99 dólares, é o resultado de uma pedido expresso dos fundadores da marca, que solicitaram um café não só escuro, rico e saboroso, mas também com um alto teor de cafeína.

Como os amantes da bebida sabem, as misturas de casas como a Starbucks e outros espaços gourmet têm menos cafeína e são mais baratos que os cafés servidos em jantares formais. Isso deve-se ao fato de os grãos de café árabes serem menos ricos em cafeína do que os mais correntes.

A Death Wish Coffee resolveu o problema com uma mistura árabe orgânica, proveniente do comércio justo. Como o fizeram? Não revelam, mas as críticas dos especialistas são altamente positivas. Por isso, se tem dificuldades em arranjar doses suficientes de adrenalina par enfrentar o dia-a-dia, experimente um destes cafés. Se não resultar, talvez seja um caso perdido.

O café da Death Wish está à venda online por 19,99 dólares.

Matéria by http://www.dinheirovivo.pt

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

7 Espaço Café Brasil - 4 a 6 de Outubro - Expo Center Norte




O Auditório Inteligência de Mercado do 7º Espaço Café Brasil, que acontecerá de 4 a 6 de outubro, já tem sua programação definida. 

As palestras contarão com grandes nomes do mercado de café e especialistas em negócios, como Hulda Oliveira Giesbrecht (UAIT – Unidade de Acesso à Inovação e Tecnologia / Sebrae), que será mediadora da apresentação Os Principais Passos para a Indicação Geográfica, além de empresários como Diego Gonzales (Sofá Café), Juca Esmanhoto (Rause Café e Vinho) e Marcelo Malerba (Malerba Café), que participarão do 4º Encontro Business Experience: Proprietários de Cafeterias, comandado por Mariana Proença, diretora de redação do Portal Espresso.

O evento é voltado para profissionais do mercado de café, como cafeicultores, torrefadores, donos de cafeterias e baristas que busquem aperfeiçoamento em seus negócios. 

As palestras serão gratuitas, e é preciso se inscrever pelo site da feira (http://www.espacocafebrasil.com.br/), pois as vagas são limitadas.

Veja abaixo a programação do Auditório Inteligência de Mercado do ECB:

Dia 4 de outubro

2º Encontro das Mulheres do International Women’s Coffee Alliance (IWCA), das 8h às 12h 

Encontro das Certificadoras com a Cafeicultura Familiar, às 13h30.

Com mediação de Sergio Parreiras Pereira, da Rede Social do Café, o debate terá a participação de representantes das certificadoras Certifica Minas, Rainforest Alliance (Imaflora), 4C e UTZ Certified.

Franquias: os Pontos Chaves para Montar a sua Cafeteria, às 16h30

Com exposição de Eduardo Simões (Scada Café) e Marco Suplicy (Suplicy Cafés Especiais)

Marketing: Estudo de Marcas de Cafés e Desenvolvimento de Design de Embalagens, às 18h

Jonas Pacheco e Núbia Lima contam o case Martins Café sobre o tema.

Comunicação: Como Desenvolver a Estratégia de Divulgação do seu Negócio nas Mídias Sociais, às 19h30 

A editora-assistente do Portal Espresso, Giuliana Bastos, mediará a palestra, com Alessander Guerra (Cuecas na Cozinha), Janaina Fidalgo (revista Época São Paulo), Julian Lopes (Carrots Creative Content) e Romoaldo de Souza (Café&Conversa).

Dia 5 de outubro

2º Encontro das Mulheres do International Women’s Coffee Alliance (IWCA), das 8h às 12h

Os Principais Passos para a Indicação Geográfica, às 13h

Hulda Oliveira Giesbrecht (UAIT – Unidade de Acesso à Inovação e Tecnologia/ Sebrae) será mediadora da apresentação, com representantes da Associação dos Cafeicultores do Oeste da Bahia (Abacafé), da Cooperativa dos Produtores de Café de Montanha de Divinolândia- SP (Cooprod), da Federação dos Cafeicultores do Cerrado, da Associação dos Produtores de Café da Mantiqueira (Aprocam) e da Associação de Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná (Acenpp).

Inovação e Diferenciação no Mercado de Café: O Caminho do Sucesso, às 15h30

Com exposição de Nathan Herzkowicz, da Abic

Mulheres do Café: Oportunidades no Brasil, às 17h

Palestra de Josiane Cotrim, presidente da IWCA Brasil

O Vinho como Parceiro: Guia Prático de como Implementar no seu Negócio, às 19h

Diego Arrebola (sommelier, Olivetto Restaurante e Enoteca) irá encerrar a programação do dia com a palestra.

Dia 6 de outubro

O Orçamento ao Alcance de Todos, às 8h

A Secretária de Orçamento Federal, Celia Correa, apresentará o tema.

Assinatura do Memorandum Of Understanding (MOU) da IWCA Brasil, às 9h30.

Mexido de Ideias Day: Gastronomia e Café, às 10h

Encontro com os palestrantes Eliana Relvas (Cafeóloga), Luiza Fecarotta (jornalista de gastronomia da Folha de S.Paulo) e Marco De la Roche (Mixology News) e a mediadora Kelly Stein (Mexido de Ideias).

Como Desenvolver Baristas Completos para o seu Negócio, às 12h

Georgia Franco de Souza (Lucca Cafés Especiais), Jonathan Silva (Barista Coffee Center) e Silvia Magalhães (Italian Coffee) apresentarão a palestra.

4º Encontro Business Experience: Proprietários de Cafeterias, às 13h30

A programação do auditório será encerrada com a participação de Diego Gonzales (Sofá Café), Juca Esmanhoto (Rause Café e Vinho) e Marcelo Malerba (Malerba Café), e moderação de Mariana Proença, diretora de redação do Portal Espresso, em uma conversa sobre o tema. 

Para mais informações, acesse: http://www.espacocafebrasil.com.br/eventos_auditorio.php

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

PELO MUNDO: Vila França Café - Uma Verdadeira Cafeteria em plena Vila Mariana.




Eu e minha irmã Amanda chegamos a conclusão logo no começo de nossa empreitada que existem vários tipos de clientes e que o importante é descobrir o perfil deles. 

Com base nisso nosso atendimento acabou se transformando naturalmente em algo mais pessoal e por que não, divertido! Nós visitamos semanalmente nossos parceiros e temos muito história para contar nesses quase 3 anos de atendimento...  

A questão é que não existe manual de atendimento ao cliente, quer dizer, até existe, mas o que esses manuais não contam é que é no dia-a-dia, no contato direto que se descobre a melhor forma de atender as expectativas.  

Muitos amigos e muitos clientes se surpreendem quando dizemos que fazemos muitas das entregas de nosso Café, mas para nós esse foi e é um caminho natural de aprendizado e de estreitamento da relação Fornedor X Consumidor. A questão é: Todo mundo gosta de se sentir exclusivo, bem atendido, receber um sorriso e ver seus problemas resolvidos. 

Acabamos conhecendo muito gente bacana e com histórias e pontos de vista interessantíssimos sobre este vasto MUNDO DO CAFÉ e, pensando nisso, decidimos compartilhar o perfil e os empreendimentos daqueles que encontramos pelo nosso caminho... Apreciem sem moderação!

Abraço Ilana.

------



























Vila França Café: Uma Verdadeira Cafeteria em plena Vila Mariana.

Eu particularmente A-D-O-R-O a Vila Mariana, acho perto de tudo (brinco que o Centro de São Paulo é lá!). 

As casinhas coloridas, o verde e a possibilidade de fazer tudo a pé deixou o bairro com "ar" bucólico e tranquilo... Coincidência ou não, o Vila França Café é exatamente assim!

O Vila França Café é cliente do Café Helena desde 2008, e em 2012 o Sr. Antonio Miranda adquiriu o empreendimento e decidiu trazer para o ambiente sua visão “Europeia” de Cafeteria, explico: - O Sr. Miranda é de Portugal nascido na Cidade de Paradinha / Bragança. Ele tinha em seu histórico familiar experiência com bares e restaurantes, mas sempre gostou mesmo era da história que envolve o Café, então quando surgiu a oportunidade ele viu uma forma de realizar seu sonho.

As expectativas de futuro do Sr. Miranda é de crescimento. Ele quer cada vez mais melhorar a preparação da bebida e “ensinar” como um verdadeiro espresso deve ser servido.

Ele diz que seu segredinho na hora de tomar o Café é a canela em pau e que seu modo de preparo preferido é mesmo o espresso.

A sua pausa preferida para o Café seria o meio da tarde e diz que fica perfeito com torta ou bolo de canela e amêndoas.

Hoje o Vila França serve uma média de 2.150 cafezinhos por mês e tenho certeza que o intuito é só aumentar!


Vai lá Conferir:
Endereço: Rua França Pinto, nº 49, Vila Mariana – SP.
Tel.: 11 5084.2281

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

RECEITA DA SEMANA: Risoto de Café


*Ingredientes
1 xícara (Chá) de funghi seco
4 xícara (Chá) de água morna
4 colheres (sopa) de manteiga
1 cebola pequena picada
2 dentes de alho picados
2 xícara (Chá) de arroz arbóreo
2 xícara (Chá) de vinho branco seco
2 xícara (Chá) de Café coado quente
1 colher (Chá) de cominho em pó
2 colheres (Sopa) de cebolinha
Sal a gosto
2 colheres (Sopa) de queijo parmesão ralado

* Modo de Preparo:
Coloque o funghi seco de molho na água morna por 15 minutos. Derreta metade da manteiga e frite a cebola e o alho. Junte o arroz e frite mais um pouco. 
Acrescente o vinho e cozinhe até secar. Adicione o funghi junto com a água e o Café Helena, aos poucos, mexendo sempre. Tempere com o comilho, a cebolinha e o sal. Quando estiver quase seco, desligue e misture a mateiga restante e o queijo. Sirva a seguir.

* Rendimento: 6 porções / Tempo de Preparo: 40 min.